Homeostase e os benefícios do CBD para sua regulação

Homeostase

Esse artigo explica o que é homeostase, qual é sua importância e como a Cannabis pode ser uma grande aliada para auxiliar na sua regulação.


Sumário

  1. O que é homeostase?
  2. Qual é a importância da homeostase?
  3. Exemplos de Distúrbios Homeostáticos
  4. Para quê serve a homeostase?
  5. Funções da homeostase
  6. Quais são os tipos de homeostase?
  7. O que é sistema endocanabinóide?
  8. Funções do Sistema Endocanabinóide
  9. Qual a relação do sistema endocanabinóide com a homeostase?
  10. Quais são os benefícios do canabidiol na regulação da homeostase?

Você já ouviu o termo homeostase? Se já ouviu, sabe de fato o que significa e a sua importância para nossa sobrevivência?

Neste artigo vamos explicar um pouco sobre o que é homeostase, qual é sua importância, quais os tipos e também como a cannabis medicinal pode auxiliar na regulação da homeostase. 

O que é homeostase?

O termo “homeostase”, introduzido pelo fisiologista Walter Cannon em 1926, deriva do grego, em que “homeo” significa semelhante e “stasis” significa estabilidade. 

foi. De maneira geral, esse conceito abrange uma série de processos fisiológicos que regulam as funções essenciais do nosso corpo.

Na biologia, a definição de homeostase , se refere à capacidade de um organismo de manter um ambiente interno estável, apesar das mudanças externas. 

Esse equilíbrio é vital para a sobrevivência e o funcionamento adequado dos seres vivos.

Qual é a importância da homeostase?

A homeostase é crucial para a sobrevivência e a saúde dos organismos. Qualquer desvio significativo dos parâmetros normais pode levar a doenças ou condições graves. 

Por exemplo, a falha em regular os níveis de glicose pode resultar em diabetes, enquanto desequilíbrios eletrolíticos podem causar arritmias cardíacas.

Exemplos de Distúrbios Homeostáticos

Os distúrbios homeostáticos referem-se a condições ou doenças que interferem no equilíbrio interno do organismo humano. Isso envolve a regulação de variáveis como temperatura corporal, pH do sangue, concentração de eletrólitos, níveis de glicose, entre outros.

Essas condições podem resultar de diversos fatores, incluindo problemas genéticos, doenças adquiridas, estilo de vida inadequado, exposição a toxinas, entre outros. Abaixo alguns exemplos comuns de distúrbios homeostáticos.

Diabetes Mellitus

A Diabete Mellitus é uma condição em que o corpo não consegue regular adequadamente os níveis de glicose no sangue, resultando em hiperglicemia crônica.

Hipertensão arterial

A Hipertensão Arterial corresponde à pressão arterial elevada que, se não controlada, pode levar a complicações como doença cardíaca, derrame e insuficiência renal.

Acidose e Alcalose

A acidose e alcalose são desequilíbrios no pH sanguíneo.  A Acidose indica um excesso de acidez e a alcalose uma falta de acidez.

Ambos desequilíbrios são potencialmente fatais se não tratados. Ou seja, podem levar ao óbito. 

Para quê serve a homeostase?

Ao regular e estabilizar o ambiente interno, a homeostase permite que os organismos se adaptem a mudanças, resistam a doenças, cresçam e se desenvolvam.

Ou seja, a homeostase é um dos fatores para manter a saúde e o bem-estar geral. 

Sem a homeostase, o corpo seria incapaz de funcionar de maneira harmoniosa e responder adequadamente aos desafios internos e externos.

A compreensão e o estudo da homeostase não só revelam os mecanismos fundamentais da vida, mas também informam abordagens médicas e terapêuticas para diversas condições patológicas.  

Funções da homeostase

Algumas das principais funções da homeostase são:

 Manutenção da função celular

Cada célula do corpo requer um ambiente específico para funcionar corretamente. 

A homeostase assegura que fatores como temperatura, pH, concentração de íons e níveis de nutrientes permaneçam dentro de limites estreitos.

Como resultado disso, permite que as reações bioquímicas ocorram de maneira eficiente e eficaz.

Regulação de processos metabólicos

A homeostase controla processos metabólicos fundamentais, como a produção de energia, síntese de proteínas e a degradação de substâncias. 

Por exemplo, a homeostase glicêmica mantém os níveis de glicose no sangue estáveis, fornecendo uma fonte contínua de energia para todas as células, especialmente as neurônias, que dependem fortemente de glicose.

Estabilidade do ambiente interno

Para que os órgãos e sistemas do corpo funcionem corretamente, é crucial que o ambiente interno permaneça estável. 

Isso inclui a regulação da temperatura corporal, equilíbrio hídrico, níveis de eletrólitos e pressão arterial. 

A homeostase ajuda a prevenir condições adversas que podem prejudicar o funcionamento dos sistemas do corpo.

Adaptação a mudanças externas

Os organismos estão constantemente expostos a mudanças no ambiente externo, como variações de temperatura, disponibilidade de alimentos e estresse. 

A homeostase permite que o corpo se adapte a essas mudanças, mantendo a estabilidade interna. 

Por exemplo, em ambientes frios, o corpo aumenta a produção de calor para manter a temperatura corporal.

Proteção contra doenças

A homeostase imunológica é crucial para a defesa do corpo contra patógenos e a prevenção de respostas autoimunes excessivas. 

O sistema imunológico regula a produção e a atividade de células imunes para combater infecções e proteger o corpo de doenças, ao mesmo tempo em que evita danos ao próprio tecido corporal.

Suporte ao crescimento e desenvolvimento

Para o crescimento e desenvolvimento adequados, especialmente em crianças e adolescentes, é necessário um ambiente interno estável. 

A homeostase regula os hormônios de crescimento e outros fatores necessários para o desenvolvimento saudável de ossos, músculos e outros tecidos.

Equilíbrio hormonal

Os hormônios desempenham papéis cruciais na regulação de inúmeras funções corporais, incluindo metabolismo, crescimento, reprodução e resposta ao estresse. 

A homeostase hormonal mantém os níveis hormonais dentro de faixas ótimas, assegurando que todos os processos corporais funcionem de maneira coordenada e equilibrada.

Recuperação e reparação

Após lesões ou doenças, a homeostase é fundamental para a recuperação e reparação dos tecidos. 

Processos como a coagulação sanguínea, a cicatrização de feridas e a regeneração de tecidos são regulados para garantir uma recuperação eficiente e prevenir complicações.

Quais são os tipos de homeostase?

A homeostase pode ser classificada em vários tipos com base nos diferentes aspectos fisiológicos que são regulados no corpo. 

Homeostase Térmica

A homeostase térmica refere-se à regulação da temperatura corporal para mantê-la dentro de uma faixa ideal, normalmente em torno de 37°C em humanos.

Este processo é crucial para o funcionamento adequado das enzimas e outras reações bioquímicas no corpo. 

Os principais mecanismos incluem:

  • Sudorese: Para resfriar o corpo quando a temperatura interna aumenta.
  • Calafrios: Para aquecer o corpo quando a temperatura interna diminui.
  • Vasodilatação: Para aumentar o fluxo sanguíneo na superfície da pele, facilitando a perda de calor.
  • Vasoconstrição: Para reduzir o fluxo sanguíneo na superfície da pele, conservando o calor.

Homeostase Hídrica

A homeostase hídrica é a manutenção do equilíbrio de água no corpo, essencial para a sobrevivência celular e o funcionamento do organismo. 

O principal órgão envolvido na manutenção do equilíbrio hídrico é o rim.

Os processos incluem:

  • Regulação pela aldosterona: Hormônio que controla a reabsorção de sódio e a excreção de potássio nos rins.
  • Hormônio antidiurético (ADH): Regula a quantidade de água reabsorvida nos túbulos renais.

Homeostase Glicêmica

A homeostase glicêmica é a manutenção dos níveis de glicose no sangue dentro de uma faixa estreita, crucial para fornecer energia constante às células, especialmente ao cérebro. 

Os dois hormônios principais envolvidos são:

  • Insulina: Reduz os níveis de glicose no sangue promovendo a absorção pelas células.
  • Glucagon: Aumenta os níveis de glicose no sangue, estimulando a liberação de glicose armazenada no fígado.

Homeostase de pH

A homeostase do pH é a manutenção do equilíbrio ácido-base no corpo, essencial para o funcionamento celular e enzimático. 

O pH normal do sangue varia entre 7,35 e 7,45. 

Os mecanismos incluem:

  • Sistemas tampão: Como o bicarbonato, que neutraliza os ácidos e bases no corpo.
  • Respiração: Regula a eliminação de dióxido de carbono, que é ácido.
  • Função renal: Excreta íons hidrogênio e reabsorve bicarbonato para manter o equilíbrio.

Homeostase de Íons e Eletrólitos

A homeostase de íons e eletrólitos envolve a regulação de minerais como sódio, potássio, cálcio e magnésio, fundamentais para funções nervosas, musculares e outras atividades celulares. 

Os principais processos incluem:

  • Absorção intestinal: Regula a quantidade de eletrólitos absorvidos dos alimentos.
  • Excreção renal: Controla a eliminação de eletrólitos pelo sistema urinário.

Homeostase da Pressão Arterial

A homeostase da pressão arterial é a manutenção da pressão sanguínea dentro de uma faixa normal, necessária para garantir a perfusão adequada dos tecidos e órgãos. 

Os mecanismos incluem:

  • Sistema renina-angiotensina-aldosterona (RAAS): Regula a vasoconstrição e a retenção de sódio e água pelos rins.
  • Barorreceptores: Receptores de pressão que detectam mudanças na pressão arterial e ajustam a resistência vascular e a frequência cardíaca.

Homeostase Imunológica

A homeostase imunológica refere-se à capacidade do sistema imunológico de manter um estado de equilíbrio entre a defesa contra patógenos e a prevenção de respostas autoimunes excessivas. 

Os processos incluem:

  • Produção de células imunes: Como linfócitos B e T, para combater infecções.
  • Regulação da inflamação: Para evitar danos excessivos aos tecidos.

O que é sistema endocanabinóide?

O sistema endocanabinóide (SEC) é um complexo sistema de sinalização celular encontrado em todo o corpo dos mamíferos. 

Ele foi descoberto na década de 1990 durante a pesquisa sobre os efeitos da cannabis . 

O SEC é composto por três componentes principais:

Endocanabinóides

São neurotransmissores lipídicos que se ligam aos receptores canabinóides. Os dois principais endocanabinóides são a anandamida (AEA) e o 2-araquidonoilglicerol (2-AG).

Receptores canabinóides

Receptores específicos localizados na superfície das células que interagem com os endocanabinóides. 

Os dois principais tipos são o CB1, encontrado principalmente no sistema nervoso central, e o CB2, presente principalmente nas células do sistema imunológico.

Enzimas

Enzimas responsáveis pela síntese e degradação dos endocanabinóides. As principais enzimas envolvidas são a FAAH (hidrolase de amida de ácido graxo) e a MAGL (lipase de monoacilglicerol).

Funções do Sistema Endocanabinóide

O SEC como cita o estudo Neurobiology of Cannabis: from the endocannabinoid system to cannabis-related disorders  “contribui para a definição de setpoints em diversas vias neuronais, incluindo vias cruciais na instalação de transtornos por uso de substâncias; com o uso de Cannabis, esses setpoints tornar-se-ão mais permissivos, facilitando os transtornos por uso de Cannabis” .

  • Modulação da dor: Os endocanabinóides podem atuar em receptores no sistema nervoso central para reduzir a percepção da dor.
  • Regulação do humor e estresse: Influencia o humor e a resposta ao estresse, podendo afetar estados de ansiedade e depressão.
  • Controle do apetite e metabolismo: O SEC está envolvido na regulação do apetite e na manutenção do equilíbrio energético.
  • Função imunológica: Modula a resposta imune e pode ajudar a reduzir a inflamação.
  • Memória e aprendizado: Participa na formação e extinção de memórias, influenciando processos cognitivos.
  • Sono: Afeta a regulação dos ciclos de sono e vigília.

Qual a relação do sistema endocanabinóide com a homeostase?

O sistema endocanabinóide (SEC) desempenha um papel crucial na manutenção da homeostase, ou seja, no equilíbrio interno do corpo. 

A homeostase é vital para a saúde e o funcionamento adequado de todos os sistemas do organismo.

Nessa perspectiva,o SEC atua como um modulador essencial para garantir que esse equilíbrio seja mantido. 

Abaixo listamos algumas maneiras pelas quais o SEC contribui para a homeostase:

Regulação do sistema nervoso central

O SEC ajuda a equilibrar a neurotransmissão, modulando a liberação de vários neurotransmissores, o que contribui para o equilíbrio das funções cerebrais, incluindo humor, memória e percepção da dor.

Modulação da resposta imune

O SEC regula a atividade das células imunológicas, ajudando a prevenir respostas inflamatórias excessivas e promovendo a resolução da inflamação, essencial para a defesa contra patógenos e a recuperação de lesões.

Controle do metabolismo energético

O SEC influencia o apetite, a ingestão de alimentos e o armazenamento de energia, ajudando a manter o equilíbrio energético e o peso corporal.

Regulação do estresse e ansiedade

Através da modulação dos circuitos neurais envolvidos no estresse e na ansiedade, o SEC ajuda a manter um estado emocional equilibrado, crucial para a homeostase psicológica.

Manutenção da saúde cardiovascular

O SEC pode influenciar a pressão arterial e a função cardiovascular, contribuindo para a manutenção da homeostase cardiovascular.

Quais são os benefícios do canabidiol na regulação da homeostase?

O canabidiol (CBD), um dos principais compostos encontrados na planta Cannabis sativa, tem sido amplamente estudado por seus potenciais benefícios terapêuticos. 

Ao interagir com o sistema endocanabinóide (SEC), o CBD pode ajudar a regular a homeostase no corpo como concluiu a pesquisa Correlação do uso do óleo de canabidiol  com  a regulação e manutenção da homeostase corporal que cita:

“Foram  observados  em  diversos  estudos,  que  tais  níveis  de concentração   circulantes   de   endocanabinóides,   quando   elevados,   ativam   a   via   anti-inflamatória  colinérgica,  e,  por  conseguinte,  diminuem  e  previnem  o  estresse  oxidativo associado  a  fisiopatogênese  de  doenças  como  ansiedade,  depressão,  obesidade  e  diabetes. Assim, apresenta que os endocanabinóides e a expressão de receptores endocanabinóides CB1 e  CB2  como  fundamentais  no  processo  de  regulação  das  respostas  imunológicas  inatas  e adaptativas.”

Abaixo alguns dos principais benefícios do CBD na regulação da homeostase:

Modulação da dor

O CBD pode influenciar a percepção da dor ao interagir com receptores canabinóides e outros receptores no sistema nervoso. 

Ele pode reduzir a dor crônica e neuropática, frequentemente associada a condições como artrite e esclerose múltipla

O CBD também tem propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a reduzir a inflamação em várias condições, como doenças autoimunes e inflamação crônica.

Regulação do humor e ansiedade

O CBD pode ajudar a regular a resposta ao estresse e a ansiedade ao influenciar a atividade do receptor de serotonina 5-HT1A e modulando os níveis de cortisol, o hormônio do estresse. 

Alguns estudos ainda sugerem que o CBD pode ter efeitos antidepressivos, melhorando o humor e ajudando a regular emoções. “Em voluntários saudáveis, o CBD (1mg/kg) administrado por via oral, simultaneamente com uma dose elevada de Δ9-THC (0,5mg/kg), atenuou significantemente a ansiedade e os sintomas psicóticos induzidos pelo Δ9-THC9. Sabe-se que nesta dose e com a administração simultânea o CBD não altera, por interação farmacocinética, os níveis plasmáticos de Δ9-THC; assim, estes resultados sugeriram um efeito ansiolítico e/ou antipsicótico próprio do CBD”. 

Regulação do sono

O CBD pode ajudar a regular os ciclos de sono-vigília, promovendo um sono mais profundo e reparador

Isso é especialmente benéfico para pessoas com insônia e outros distúrbios do sono. 

Ao melhorar a qualidade do sono, o CBD pode ajudar a reduzir a sonolência diurna excessiva e melhorar a atenção e o foco durante o dia.

Regulação do apetite

O CBD pode influenciar o apetite, embora os efeitos possam variar. Em algumas pessoas, ele pode reduzir o apetite, o que pode ser útil para o controle de peso. 

Ele pode ainda ajudar a regular o metabolismo lipídico, potencialmente afetando a forma como o corpo armazena e queima gordura.

Saúde cardiovascular

O CBD pode ajudar a reduzir a pressão arterial em situações de estresse, promovendo a saúde cardiovascular. 

Suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes podem ajudar a proteger o coração e os vasos sanguíneos contra danos.

Neuroproteção

Em outubro de 2014 o uso de canabidiol foi liberado para prescrição aos médicos do Estado de São Paulo, pelo Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo). A ANVISA também já liberou o seu uso medicinal por importação para vários casos; exigindo a prescrição e laudo médicos e termo de responsabilidade.

Cada vez mais o uso terapêutico dos canabinoides têm sido discutidos, uma vez que o CBD tem mostrado potencial neuroprotetor, ajudando a proteger as células cerebrais contra danos e promovendo a saúde neural. 

O artigo Canabinoides e seu uso em neurologia – Academia Brasileira de Neurologia, ainda cita que especialistas em nome da Academia Brasileira de Neurologia prepararam uma posição crítica sobre o uso do canabidiol e outros derivados da cannabis em doenças neurológicas. Para conferir quais as doenças foram citadas, é só clicar no link

Isso é especialmente relevante em condições neurodegenerativas como a doença de Alzheimer e a esclerose múltipla. 

O CBD também é eficaz no tratamento de certas formas de epilepsia, como a síndrome de Dravet e a síndrome de Lennox-Gastaut, ajudando a reduzir a frequência e a gravidade das convulsões.

Conclusão

O canabidiol (CBD) oferece uma ampla gama de benefícios na regulação da homeostase, atuando em diversos sistemas do corpo. 

,Ao interagir com o sistema endocanabinóide e outros sistemas receptores, o CBD pode ajudar a manter o equilíbrio interno, promovendo a saúde e o bem-estar geral.

 A pesquisa contínua sobre o CBD está expandindo nossa compreensão de suas capacidades terapêuticas, oferecendo novas possibilidades para o tratamento de uma variedade de condições e a promoção da homeostase.