A BAD TRIP é uma sensação de não poder controlar o corpo e a mente. vamos entender mais sobre quando bate uma brisa “errada” e porque devemos abandonar o termo BAD TRIP e encarar as viagens desafiadoras por uma outra perspectiva.

A maioria de nós já passou ou conhece alguém que já passou por situações onde o uso de determinada substância causou um efeito inesperado e até mesmo inverso do proposto. Conhecida como “Bad Trip”, essa sensação é desconfortável, agonizante e apreensiva.. A “viagem ruim” é um fenômeno produzido pelo uso de Substâncias Psicoativas, como MDMA, Cogumelos , LSD e outros alucinógenos, incluindo a cannabis.

A “Bad Trip”, tradução em português “viagem ruim”, significa uma viagem que trouxe sensações sobretudo negativas, que não proporcionou o bem estar buscado no uso de substâncias. Essa viagem é caracterizada por efeitos diferentes do esperado, estranhos e muitas vezes prejudiciais à saúde física ou mental do usuário.

Disclaimer: Mais tarde vamos explicar porque Bad Trip é um termo ultrapassado, mas desde já vamos usá-lo entre aspas pois é uma expressão coloquial para um tema sério, que inclusive tem muita gente estudando, trabalhando e produzindo conteúdo de qualidade. Um exemplo legal é o Projeto Respire, um coletivo de Redução de Danos muito importante para  a luta antiproibicionista no Brasil.

No filme “Bad Trip” (2021), produzido pela Netflix, dois amigos vivem diferentes situações inusitadas a caminho de Nova York. O ponto auge da comédia é que os atores fazem pegadinhas e interagem com pessoas reais, que agem de forma inesperada. Essas reações das pessoas reais podem ser comparadas com uma viagem desagradável, mas esse texto não tem relação com o filme, e sim com o uso de substâncias psicoativas.

No caso específico da maconha recebemos diversos relatos de pessoas que têm sensações estranhas, que usam a maconha com um propósito e acabam sentido o inverso disso. Os relatos mais comuns são sensações de ansiedade e paranoia, bem diferente da calma e do relaxamento que normalmente o usuário de cannabis procura.

Embora essa experiência seja algo comum, não há muita informação por aí que ajude os maconheiros a lidar com uma “Bad Trip”. E por isso hoje temos três objetivos com texto:

  • Te ajudar a entender o que acontece com sua mente e corpo quando se está sob um efeito indesejado após o uso de maconha;
  • Como agir durante o momento, e o como ajudar uma amigo que se encontra em o que comumente conhecemos por “Bad Trip”;
  • Mostrar como a experiência pode ser uma importante janela de autoconhecimento e evolução para o usuário de cannabis.

O que é uma “Bad trip” de maconha?

Uma “bad trip” é quando o efeito passa de algo gostoso e recreativo para algo que te deixa tenso, desconfortável e incômodo. No caso da maconha a “Bad Trip” pode acontecer de várias maneiras, sendo as mais comuns: ansiedade acima do comum, paranoias sem fundamento, pressão baixa, taquicardia, sudorese (suador), mal estar físico, crise de pânico e até mesmo a sensação de ter “ficado louco” a ponto de perder o controle de suas ações e achar que não vai mais voltar ao normal.

Os efeitos de uma substância são diferentes para cada indivíduo e também dependem de fatores internos e externos. Por isso, uma viagem é diferente entre uma e outra e entre um indivíduo e outro, mas o que caracteriza a “viagem ruim” é justamente as sensações desagradáveis que descrevemos acima.

"Bad Trip" de Maconha. Foto: Leafly
Foto: Leafly

Por que a “Bad trip” acontece?

Efeitos adversos proveniente do uso de substâncias que afetam o sistema nervoso é algo que pode acontecer com todo usuário de tais substâncias. A maconha é uma dessas substâncias e ela pode inclusive despertar quadros mais graves em pessoas com predisposição à esquizofrenia ou paranoia.

Não queremos botar medo em ninguém, mas como usuário consciente, que luta por sua liberdade individual, é preciso saber que o uso de substâncias psicoativas têm um impacto no seu corpo e diferentes substâncias têm graus e impactos diferentes.

Ao consumir qualquer coisa você assume automaticamente o risco que tais substâncias podem causar e por isso o conhecimento é fundamental.

Ter uma experiência difícil, a “Bad Trip”, pode ser completamente normal e com inúmeras razões para isso acontecer. É difícil apontar com precisão os fatores, já que cada pessoa é diferente.

Norman Zinberg escreveu um livro chamado “Drug, set and setting” discorrendo sobre os fatores que envolvem uma experiência com Substâncias Psicodélicas, e desde então, esses termos são estudados pelos especialistas em drogas.

Drug, em português droga, diz respeito a substância, sua concentração e pureza. No caso da maconha podemos pensar que os efeitos serão sentidos diferentes se fumarmos um prensado, uma flor pura ou um haxixe e, quanto mais concentrado, mais forte os efeitos serão sentidos.

“Set”, cenário em português, diz respeito ao estado mental do usuário, ou seja, no que você está pensando na hora de fumar, seu humor e o que espera da experiência. Já o “Setting”, ambiente em português, é sobre o espaço externo, físico e social. Onde e com quem a maconha está sendo fumada? É uma festa com muitos desconhecidos, em casa com os amigos ou na rua sozinho? Todas as variáveis podem afetar a experiência!

Estresse, medo e um ambiente desagradável podem resultar em uma experiência desagradável. Entretanto, o uso de substâncias psicoativas pode – e, acredite em mim – vai expandir algo que já está dentro de você.

Se você consome maconha, sendo que já está ansioso, com questões psicológicas a serem resolvidas, há maiores chances da cannabis expandir essas questões e a sensação que elas causam em você, só que de forma mais intensa.

Como já falamos o ambiente que você se encontra, a quantidade e a qualidade – evitar fumar prensado!- que você está consumindo também pode ser um fator para ativar uma “viagem errada”.

Lembre-se que isso pode acontecer mesmo se você for um maconheiro de longa data. A forma como você consome a maconha também pode influenciar: ao ingerir via oral, por exemplo, o efeito vai ser mais intenso e duradouro, e isso pode ser um gatilho, principalmente para os inexperientes.

Pessoal, o que recebemos de relatos de usuários experientes que passaram mal após um brigadeiro de maconha não é brincadeira. Quando a maconha é ingerida por via oral, o efeito demora mais para bater e dura mais, então é preciso dosar em pedaços bem pequenos e esperar o efeito bater antes de comer mais, evitando assim uma “Bad trip” prolongada.

Quais são os sintomas de uma “Bad trip”?

Os sintomas variam, mas alguns são mais relatados. Por exemplo, um possível sintoma é a sensação de formigamento no rosto. Isso pode vir junto com suor excessivo, falta de ar, pressão baixa e palidez.

Quando você não sabe o que está acontecendo, é normal ficar assustado. Essa sensação de medo, de perda de controle, pode ser seu pior inimigo nessas horas. Ao se deixar levar pelo medo, a paranoia e ansiedade podem te dominar e começar a ter efeitos físicos no seu corpo.

Nosso estômago é muito ligado ao sistema nervoso, e ficar com a cabeça cheia de ansiedade e paranoia podem levar algumas pessoas a vomitar ou até mesmo desmaiar por pressão baixa. Logicamente, tudo isso que estamos falando varia, e muito, de pessoa para pessoa e também dependerá de todos os fatores que já citamos.

E porque não é necessariamente uma “Bad” passar por uma experiência difícil?

A maconha não te deixa ansioso, ela expande um quadro de ansiedade que já existe aí dentro, e por isso acreditamos que a reflexão pós “Bad trip”, por pior que ela seja no momento, pode te levar a um novo patamar de auto-conhecimento.

A única sequela que a “viagem ruim” deixa é a ressaca moral, às vezes acompanhada de pensamentos confusos e incompreensão, por isso, recomendamos fortemente que você procure entender e resolver as questões que têm potencial de te deixar ansioso e/ou paranoico quando está sob o efeito da cannabis.

Com certeza é muito inquietante a sensação de não saber o que está acontecendo com nosso corpo e mente. Estar “chapado até demais” pode ser aterrorizante para alguns, mas lembre-se, uma hora os efeitos irão começar a passar, você não vai ser primeira pessoa a morrer de overdose de maconha na história, tenha certeza disso.

Se isso está acontecendo mais vezes que o normal com você ou algum amigo, é sinal amarelo que você precisa de uma reflexão sobre qual é a real causa e eventualmente procurar ajuda psicológica.

Mas não se desespere uma vez resolvida a questão, a tendência é que os efeitos indesejados também parem.

Boas dicas para quem acredita que está com alguma questão que precisa ser resolvida:

  • Invista tempo na reflexão – repense sua vida, o que te aflige, seus hábitos de consumo de drogas;
  • Procure ajuda profissional – terapia não tem contra indicação, caso não tenha dinheiro para uma consulta particular procure o SUS da sua região (ouvi um VIVA o SUS aí?! deixe seu VIVA o SUS nos comentários)
  • Invista em você: Alimentação saudável, atividade física, hobbies e meditação sem dúvida nenhuma ajudam em quadros de ansiedade.

Como prevenir uma “Bad trip” de maconha

A sensação conhecida como “bad trip’ pode ser causada por diversos fatores e varia muito de pessoa para pessoa, é muito difícil dizer com confiança qual método preventivo vai ser 100% eficaz, até mesmo se isso existe, nós acreditamos que não, visto que a substância trabalha diretamente na mente humana.

O que nós podemos vamos fazer é te passar algumas dicas já conhecidas de como ficar mais calmo (o que é extremamente importante durante uma viagem considerada errada).

Certifique-se que está confortável. Ficar muito chapado em um evento familiar -quando a família é careta- é a receita perfeita para despertar a ansiedade.

O mesmo pode acontecer se você estiver chapadão na rua e paranoico que a policia vai te pegar.

Nessas horas seja honesto com você mesmo e isso já vai diminuir bastante a chance de ter uma “bad trip”. Ou seja, admita que você está sob o efeito de uma substância psicoativa e que os pensamentos ruins que podem aparecer se devem a essa substância que está no seu corpo e, que após elas serem metabolizadas, os efeitos passarão.

Fique perto de pessoas que você gosta, confia e que entendem a situação que você está passando. A presença de pessoas que você não tem intimidade pode te deixar menos relaxado e mais ansioso.

Uma boa dica também é ir pra um lugar confortável, seguro e só seu. Só o fato de saber que você tem um cômodo ou um carro que você pode ficar sossegado te ajuda a não acumular ansiedade.

Por último, coma bem e hidrate-se antes e durante o consumo – de qualquer droga.

Água é uma excelente aliada na redução de danos, ela ajuda a reduzir o estresse metabólico no seu corpo e minimiza os efeitos indesejáveis do que pode estar te fazendo mal.

Como sair de uma “Bad trip”?

Como dissemos, uma “Bad Trip” é muito difícil de prever e consequentemente, de prevenir.

Pode acontecer do nada – você pode estar fumando com amigos próximos em um local seguro e mesmo assim bater aquela onda errada.

E o que fazer quando a gente se encontra nessa situação?

Café pode ajudar a sair da "badtrip" de maconha. Foto: CoffeShopSeeds
Foto: CoffeShopSeeds

Para sair de uma bad de maconha é fundamental manter a calma. Quando você perceber que isto está para acontecer, vá para um outro local e se sente.

Ache um lugar que você possa ficar sossegado sozinho, beba água e respire.

Peça a seus amigos um suco ou outra bebida doce. Isso vai aumentar o nível de açúcar no sangue. Se durar muito, coma algo doce também. Chocolate ou biscoito podem ajudar naquele efeito de “lombra” e moleza.

Se você está acostumado com café, pode ser uma boa também.

Mas cuidado: se você não tem costume com cafeína, não beba de jeito nenhum pois pode aumentar sua ansiedade. Depois de se hidratar e elevar seu nível de açúcar, tente relaxar.

Foque no fato que os efeitos são temporários.

Ver TV e música é muito pessoal, ouvimos que pode causar estresse nos seus olhos e mente, mas há pessoas que dizem que também traz relaxamento. Feche seus olhos, se isso não te causar tontura ou náusea.

Quando você se sentir capaz, converse com um amigo. Vá para um lugar aberto e tente se distrair. Quando você perceber, estará voltando ao normal.

Tomar um banho quente, relaxar e respirar bem devagar também são estratégias para sair de uma viagem desagradável.

Não misture substâncias. Muitas vezes, o poliuso de substâncias, como por exemplo, cogumelos e maconha, podem desencadear uma “Bad trip”.

Por fim, teste a substância antes do uso. Conhecer os componentes do que está usando ou, no caso da maconha, a quantidade exata de THC, é essencial para fazer um uso seguro.

Como você pode ajudar seus amigos em uma viagem desagradável? 

Agora que você sabe como cuidar de si mesmo durante uma onda indesejada, vamos aprender como cuidar de um amigo.

Primeiro, mostre-se presente, mas não o “sufoque”. É muito importante que a pessoa em crise nunca fique sozinha, mas uma pressão exagerada para que ela reaja a uma conversa pode ser mais estressante.

Pergunte se ele quer algo para beber ou comer, ou se ele prefere ir para um outro lugar. Tente perceber ou até mesmo perguntar se a sua presença está deixando ele menos ou mais ansioso. Se ele preferir ficar sozinho não leve para o pessoal.

Uma viagem desagradável não é o fim do mundo, mas com certeza parece, quando “bate do jeito errado”! Nessas horas, se lembre ou lembre o amigo que isso é uma coisa comum, passageira e, caso ele não tenha uma condição pré existente, sem nenhum impacto permanente.

Manter o contato verbal também é importante. Durante a conversa, oriente o seu amigo acerca da realidade partilhada. Isso ajuda a pessoa a relembrar o que é real dentro da sua viagem.

Atenção! Se for recorrente é importante investigar, pois pode ter algo mais sério e que precisa ser trabalhado. 

Por que o termo “Bad Trip” deve ser riscado do vocabulário?

A partir de agora não usaremos o termo “Bad Trip” no Mapa da Maconha, pois consideramos um termo errado e que traz a percepção que a substância é a causadora do efeito, quando na realidade ela expande uma situação já existente no usuário.

Devido ao volume de buscas e dúvidas sobre o tema, usamos o termo “Bad Trip” ao longo do texto para atender uma demanda e para ajudar a esclarecer sobre os efeitos indesejados que são muito buscados na internet e, sobretudo, para mostrar o outro lado, que não é necessariamente ruim.

A partir de agora convidamos nossos leitores a enxergar o tema com responsabilidade e sob a perspectiva de Redução de Danos, e pra isso recomendamos o post das Girls in Green que são especialistas no assunto, e me “puxaram a orelha” para falar desse tema com mais responsabilidade. (Obrigado meninas!)

A partir de agora convidamos nosso leitores a enxergar o tema com responsabilidade e sob a perspectiva de Redução de Danos.

Agora que vocês já sabem como lidar com uma experiência difícil e como tirar o melhor dela, compartilhem esse texto com aquele seu amigo que tem medo do efeito da maconha ou já passou por uma situação complicada após o uso. O texto pode ajudá-lo a entender melhor o que acontece, e a dar um próximo passo na busca do autoconhecimento.