Como a Cannabis pode ajudar quem tem Transtorno Dissociativo de Identidade – TDI?

TDI-transtorno-dissociativo-de-identidade

Fique por dentro dos principais sintomas de TDI – Transtorno Dissociativo de Identidade e como a Cannabis pode auxiliar a aliviá-los.


Sumário

  1. O que é Transtorno Dissociativo de Identidade – TDI?
  2. Qual é a origem e as causas do Transtorno Dissociativo de Identidade?
  3. Sintomas e diagnóstico do TDI 
  4. Tratamento para o TDI
  5. Benefícios do uso da Cannabis Medicinal para o TDI

O TDI é uma condição de defesa psicológica que permite que a mente se separe de uma experiência traumática para proteger o indivíduo. O estigma e a falta de compreensão sobre a dissociação são barreiras que impactam negativamente no diagnóstico e tratamento dos pacientes.

O objetivo deste texto é, portanto, refletir sobre o que é o TDI e, sintomas, e principalmente, como as propriedades da Cannabis Medicinal podem se aliar ao tratamento e trazer mais qualidade de vida às pessoas.

O que é Transtorno Dissociativo de Identidade – TDI?

O Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI), anteriormente conhecido como transtorno de múltiplas personalidades, é um dos transtornos dissociativos mais complexos e debatidos dentro da psiquiatria. 

É caracterizado pela presença de duas ou mais identidades distintas ou estados de personalidade (conhecidas como “alter egos” ou “alters”) que controlam alternadamente o comportamento da pessoa. 

Cada alter pode ter suas próprias memórias, comportamentos, e até mesmo, características físicas distintas. 

Infelizmente, não há um medicamento específico para tratar o TDI. ´Por isso, estudos cada vez mais aprofundados mostram os benefícios do uso da Cannabis Medicinal para a melhora do TDI, como forma alternativa ao uso de farmacológicos tradicionais. 

Qual é a origem e as causas do TDI?

O TDI é, frequentemente, ligado a experiências de trauma severo durante a infância, especialmente abuso emocional, físico ou sexual. 

A teoria mais aceita é que a dissociação serve como um mecanismo de defesa contra o estresse extremo ou trauma, permitindo à pessoa se distanciar das experiências dolorosas. 

Além do trauma, fatores genéticos e influências ambientais também podem contribuir para o desenvolvimento do TDI.

Sintomas e diagnóstico do TDI 

Os sintomas do TDI costumam aparecer ainda  na infância, entre os 5 e 10 anos. Infelizmente, na maioria das vezes os pais e ou adultos responsáveis, confundem e identificam os primeiros sintomas como alterações normais da idade, e não como um transtorno/doença. Já em pessoas adultas, o TDI é facilmente confundido com estresse, excesso de trabalho ou ainda a síndrome de borderline.

Os principais sintomas do TDI são:

  • Presença de Múltiplas Personalidades: Cada personalidade pode ter seu próprio nome, idade, gênero, história e características de fala.
  • Amnésia: Pacientes om TDI relatam lacunas na memória que podem variar de esquecimento de eventos traumáticos a períodos perdidos de tempo quando um alter diferente estava no controle.
  • Despersonalização: Sensação de estar desconectado de si mesmo.
  • Desrealização: Sentir que o mundo ao redor é irreal.
  • Distúrbios de Identidade: É comum que a pessoa com TDI apresente confusão sobre quem se é ou sobre o próprio sentido de identidade.

O diagnóstico de TDI é complexo e requer uma avaliação cuidadosa, geralmente envolvendo entrevistas clínicas detalhadas e testes psicológicos. É essencial diferenciar o TDI de outras condições psiquiátricas, bem como de simulações.

Tratamento para o TDI

O tratamento do TDI geralmente é longo e multifacetado, e muito vem sendo estudado formas alternativas ao tratamento convencional, em busca de melhorias mais rápidas e duradouras e também menos efeitos colaterais.  Entre os principais tratamentos estão: 

Psicoterapia

A terapia é o tratamento central e pode incluir métodos como a terapia cognitivo-comportamental (TCC), terapia de exposição e terapia baseada em trauma. O objetivo é integrar as personalidades separadas em uma única e mais estável.

Terapia de Grupo e Suporte Familiar

O suporte de grupos e a terapia familiar podem ser úteis para fornecer um ambiente de suporte e ajudar na reintegração das personalidades.

Medicação

Não há medicamentos específicos para tratar o TDI, mas podem ser usados para tratar sintomas coexistentes como depressão, ansiedade e transtornos do sono. Além dos farmacológicos convencionais, os medicamentos terapêuticos como a Cannabis Medicinal, têm apresentado bons resultados.  

Benefícios do uso da Cannabis Medicinal para o TDI

A cannabis medicinal, especialmente seus principais compostos ativos, THC (tetrahidrocanabinol) e CBD (canabidiol), pode ter diferentes efeitos em pessoas com TDI. A interação entre a cannabis e o TDI já é estudada, e muitos estudos, apontam alguns benefícios , como :

1. Redução da ansiedade e do estresse

Muitos pacientes com TDI experimentam altos níveis de ansiedade, que podem ser exacerbados durante episódios de troca entre diferentes identidades. 

A cannabis, especialmente as cepas ricas em CBD (cannabidiol), tem propriedades ansiolíticas que podem ajudar a reduzir os níveis de ansiedade e promover a calma, facilitando a gestão das transições entre as identidades.

2. Melhora do Sono

Distúrbios do sono são comuns em pessoas com TDI, muitas vezes devido a pesadelos e insônia associados a traumas passados. 

A cannabis tem sido utilizada para melhorar a qualidade e a duração do sono em várias condições médicas. 

O THC (tetraidrocanabinol), por exemplo, pode ajudar a reduzir o tempo necessário para adormecer e prolongar o período de sono profundo.

3. Gestão de traumas e sintomas de TEPT

O TDI muitas vezes coexiste com transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). 

A cannabis tem mostrado eficácia no tratamento de sintomas de TEPT, como flashbacks, hiperarousal e pesadelos. 

Através da modulação do sistema endocanabinoide, a cannabis pode ajudar a regular as emoções e melhorar a estabilidade emocional.

4. Alívio da dor

Dores crônicas e somáticas são frequentemente relatadas por indivíduos com TDI. 

Os canabinoides têm propriedades analgésicas que podem ser eficazes no manejo da dor, seja ela física ou resultante de tensões neurológicas associadas ao estado de alerta constante que alguns pacientes podem vivenciar.

A Origem do uso da Cannabis Medicinal

A cannabis medicinal tem uma história fascinante que se estende por milhares de anos, atravessando várias culturas e continentes. Historicamente, a cannabis foi usada para uma variedade de aplicações médicas, desde alívio de dor até tratamentos para distúrbios neurológicos.

Aqui, vamos conhecer um pouco sobre a trajetória do uso da cannabis na medicina desde suas origens antigas até seu renascimento na medicina moderna, para o uso no tratamento do TDI entre outras patologias e doenças.

Hoje, muitos países estão revendo suas leis sobre a cannabis, permitindo o uso medicinal e, em alguns casos, o uso recreativo. Estudos continuam a explorar os efeitos da cannabis no tratamento de condições como dor crônica, esclerose múltipla, epilepsia, doenças neurodegenerativas e TDI.

A cannabis medicinal é agora reconhecida como uma opção terapêutica valiosa para pacientes que não respondem bem aos tratamentos convencionais.

Conclusão

A história da cannabis medicinal é um testemunho da interação entre cultura, ciência e política. Apesar dos desafios históricos e da controvérsia que ainda a envolve, a cannabis continua a ser uma parte valiosa do arsenal medicinal, com potencial para tratar uma variedade de condições debilitantes, como por exemplo, o TDI.

A pesquisa futura e a mudança nas políticas de drogas desempenharão papéis cruciais no aproveitamento de seu potencial terapêutico completo.

O TDI é um transtorno que pode ser profundamente debilitante, afetando a capacidade de funcionamento diário da pessoa. 

O estigma social e a falta de compreensão pública sobre a doença muitas vezes complicam o cenário clínico e social para os pacientes. 

Estudos mostram que pacientes de diferentes patologias, que testaram tratamento com o uso de cannabis descreveram melhoras na dor, no humor e na qualidade de sono.

Ao iniciar o tratamento correto com o uso da cannabis medicinal, o paciente pode ser beneficiado com a melhora dos sintomas, e também a sua vida social. 

Debates científicos e pesquisas contínuas sobre a natureza e a existência do TDI e o uso da cannabis, são fundamentais para melhorar as estratégias de diagnóstico e tratamento, assim como para aprofundar o entendimento sobre as causas e o desenvolvimento do TDI. 

A educação e a conscientização também são fundamentais para desmistificar o transtorno, o uso da cannabis medicinal e melhorar o apoio e tratamento aos indivíduos afetados.