Como Curar Seus Buds de Cannabis

Vocês sabiam que a cura adequada dos buds pode melhorar significativamente o seu sabor, aroma e potência? Não vale mentir.

Depois de meses de trabalho duro, é hora de colher suas plantas de cannabis e prepará-las para o consumo. Mas muitos jardineiros se esquecem ou acabam não dando tanta importância a um dos passos dessa jornada que é crucial: a cura

Em poucas palavras, a cura é o processo de secar e curar os buds para que possam ser fumados ou consumidos de outras maneiras após a colheita.

Neste artigo, vamos falar sobre como curar seus buds após a colheita, incluindo os benefícios da cura e as boas práticas de cura para se obter o melhor sabor e aroma. 

Mas antes de entrarmos em detalhes, vamos primeiro entender por que a cura é tão importante e como ela funciona. Então, pegue seu baseado, taca fogo nele e vamos lá!

Foto de Budding . na Unsplash

A época da colheita pode parecer o estágio final no processo de cultivo, mas isso não poderia estar mais longe da verdade. Depois de colher os frutos de todo o seu trabalho, é chegada a hora das etapas mais importantes de todas: secar e curar.

A secagem é exatamente o que o seu nome sugere – é o processo em que se busca remover a maior parte do conteúdo de água de seus botões. Isso os tornará mais fáceis de manusear, mais resistentes contra a formação de mofo e muito mais agradáveis ​​de serem fumados. 

Alguns jardineiros já ficam muito felizes em queimar botões estando apenas secos, mas se você quiser levar o sabor e a potência de sua colheita para o próximo nível, é preciso curá-los.

Por que curar as flores?

A paciência é uma virtude em todas as áreas da vida e aqui não é diferente. Certamente valerá a pena curar suas flores de cannabis, pode acreditar. Mas a verdade é que a cura é um processo que pode levar até algumas semanas para ser concluído, dependendo de alguns fatores como região e o clima em que você vive, recursos que você dispõem, etc. 

Pode parecer um incômodo no começo, mas a realidade é que a cura transformará aqueles buds que machucam sua garganta em flores que oferecem uma fumaça suave e gostosa. É indiscutível. 

Isso porque a cura prolongada leva à degradação de subprodutos produzidos pelo processo de secagem, como os açúcares. Essas moléculas deixam um gosto particularmente áspero e desagradável na boca. A cura elimina esses compostos, resultando em uma fumaça suave e amanteigada.

Foto de Budding . na Unsplash

A cura também ajuda a preservar sabores desejáveis. Se liga só. 

As moléculas que dão às cepas de cannabis seus sabores intensos e únicos são conhecidas como terpenos, já ouviu falar? Se sim, escreve “Terpenos” aí nos comentários.

Esses compostos voláteis podem se degradar facilmente sob altas temperaturas, então um período de secagem adequado seguido de uma cura prolongada é o caminho a seguir se você deseja finalizar o seu ciclo de cultivo com botões saborosos para incendiar.

Não bastasse isso, o gosto não é a única característica em que a cura pode ser benéfica. O processo também pode aumentar a própria sensação de chapadeira. É meu amigo, agora eu peguei a sua atenção. Fala aí.

O THC, também conhecido como sendo o principal psicotrópico ativo da cannabis, degrada-se com o tempo em um canabinóide conhecido como CBN. A galera que conduz essas pesquisas acredita que o CBN seja levemente psicoativo, mas que ele estaria associado a efeitos diferentes daqueles proporcionados pelo THC.

Além disso, a cura também irá aumentar muito a vida útil da sua colheita e vai atuar minimizando ainda mais os casos de mofo. Então, se curados e armazenados corretamente, seus buds podem durar um ano ou mais sem qualquer perda no sabor ou na potência. 

E aí? Vale a pena ou não vale fazer a cura de forma correta?

Foto de Wesley Gibbs na Unsplash

Fatores que afetam o processo de cura:

Antes de falarmos exatamente sobre como curar suas flores de cannabis, vamos discutir alguns dos fatores que influenciam o processo. Isso vai te ajudar a obter uma compreensão clara do que buscar e do que evitar.

Evite a exposição à luz

Durante o processo de cura, você irá precisar manter seu estoque em um local escuro. A luz é um fator que pode levar à degradação de moléculas valiosas e desejadas por todos, como o THC e os terpenos. Então, para evitar que a luz estrague o sabor e a potência de suas flores, guarde os potes em um armário ou local escuro.

Como alternativa, você pode considerar armazenar suas flores em frascos de vidro miron, um tipo de vidro que filtra toda a luz visível, exceto a violeta. Sem dúvida ele irá oferecer uma proteção adicional.

Foto de Shelby Ireland na Unsplash

Proteja seu estoque do calor

O calor só será um problema substancial se você viver em um clima excepcionalmente quente. Nessas condições, o calor é um outro fator que pode levar à degradação dos canabinóides, reduzindo potencialmente a potência de suas flores. 

Certifique-se de manter seus potes em um local fresco para minimizar danos e também a formação de mofo. A temperatura ambiente ideal para a cura é de cerca de 21°C.

Encontre o ponto ideal de umidade

A cura é um processo simples. Antes de mais nada, considere que você deve começar com suas flores devidamente secas. Se o seu estoque ainda estiver muito úmido ao serem postos para a cura, os seus buds irão se aglomerar e a partir disso há uma boa chance de que o mofo se instale. 

O aumento da umidade também irá incentivar as bactérias anaeróbicas a começarem a bagunçar com o seu estoque. Um sinal claro de que isso pode estar acontecendo é o cheiro de amônia saindo de seus potes toda vez que você os abre. Fique atento, pois isso é um problema. Por outro lado, a cura do botão que está muito seco vai criar uma bagaça estranha nada agradável de se fumar. Idealmente, as flores de cannabis devem ser secas em um ambiente com umidade entre 45% e 55%.

Esses parâmetros de umidade irão resultar em uma flor com seu exterior seco e levemente quebradiço enquanto seu interior se mantém um pouco mais úmido. Quando chegar a hora da cura, a umidade irá aumentar levemente para uma leitura ideal de cerca de 62%.

Vamos às boas práticas

Agora que falamos sobre esses que são fatores vitais para o processo, mantenha-os em mente ao prosseguir e realizar a cura do seu cultivo. Combinado?

Bom, nós já falamos muito sobre a cura até aqui. Mas na real, o que ela é? A cura não é nada além de uma questão de abrir e fechar os potes na hora certa. Simples, não é mesmo? Ao colocar suas flores secas de cannabis em potes de vidro herméticos, você estará criando um ambiente controlado de forma ideal. 

Manter os seus potes fechados vai permitir que a umidade de dentro das flores reidrate o seu exterior, sem que os botões fiquem excessivamente úmidos. O objetivo final é obter um estoque que forneça uma fumaça suave e ofereça sabores superiores.

Passo 1: aparar suas flores

Foto de CRYSTALWEED cannabis na Unsplash

Chegou a hora da ação, e para iniciar o processo, você precisará preparar suas flores de forma adequada. Se você secou seus buds individualmente, já tendo realizado uma etapa prévia de limpeza, então essa parte já está pronta. 

Mas se você optou por secá-los apenas prendendo pelo galho, será necessário trimar os buds. Separe cuidadosamente cada flor e apare as folhas de açúcar, livrando-se delas.

Passo 2: Armazenando as suas flores

Foto de CRYSTALWEED cannabis na Unsplash

Em seguida, você vai precisar guardar o seu estoque em algum tipo de embalagem. Os potes herméticos são comumente utilizados pelos jardineiros. Existem diversas possibilidades, por exemplo: os potes de vidro, que oferecem uma opção robusta e permitem que os jardineiros monitorem facilmente seus buds durante todo o processo.

Coloque as suas flores cuidadosamente no recipiente e encha até 75% da sua capacidade. Lembre-se, é importante deixar espaço para o ar no interior do pote.

Agora é um bom momento para testar se o seu estoque está seco o suficiente para iniciar a etapa de cura. Dê uma sacudida suave nos potes. Se seus botões chacoalharam livremente no vidro, continue com as próximas etapas. Se eles começarem a se aglomerar, isso é um sinal de que o exterior ainda está muito úmido e é necessário secar mais.

Passo 3: Curando sua erva com a umidade ideal

Foto de Budding . na Unsplash

Está quase, pequeno jardineiro. Ainda é necessário um pouco mais de paciência.

Coloque as tampas em seus frascos e coloque-os em um local fresco e escuro para protegê-los das ameaças que nós já abordamos até aqui. 

O ideal é colocá-los em um armário ou outra sala de armazenamento que mantenha uma temperatura de 21°C e que possua uma umidade relativa de 60–65% dentro dos frascos. A única maneira de medir isso com precisão é adicionar um pequeno higrômetro (um dispositivo que mede a umidade) a cada frasco. Mas existem outras alternativas.

Passo 4: Regulando os Níveis de Umidade

Regulando a Umidade

Durante os primeiros dias, você precisará verificar seus potes em torno de duas vezes por dia. Não deixe de fazer isso! 

Inspecione-os através do vidro e fique atento a qualquer formação de mofo. Você também precisará abrir as tampas por alguns minutos cada vez que verificar para permitir a troca de ar fresco. Aproveite para sentir o aroma das flores que você cultivou, afinal elas são fruto do teu trabalho.

Se você faz uso dos higrômetros, fique de olho neles. Se a leitura exibir de 60–65% de umidade, continue normalmente, está tudo indo bem. Se as coisas ficarem muito molhadas, deixe os potes sem tampa por cerca de 3 horas para deixar o excesso de umidade escapar. Agora, se a umidade for muito baixa, deixe as tampas fechadas por períodos mais longos sem sessões de respiração.

Considere utilizar um pacote de controlador de umidade. O Boveda é um exemplo de um produto que te ajuda a evitar uma série de problemas, mantendo o nível de umidade ideal para a cura das suas flores.

Passo 5: você está quase lá

Quase lá

Continue a abrir os frascos uma vez por dia durante as próximas 2 semanas, tomando as medidas adequadas para manter a umidade ideal. Após 3 semanas, seus brotos estarão bem curados e prontos para fumar. No entanto, os fumantes mais pacientes receberão as melhores recompensas. Suas flores continuarão a aumentar em qualidade por até 6 meses de cura.

Conclusão

Em resumo, curar seus buds de cannabis após a colheita é uma parte crucial do processo de cultivo e pode afetar diretamente a qualidade e o sabor da sua planta. 

Ao seguir as melhores práticas para secar, curar e armazenar seus buds, você pode garantir que sua planta atinja todo o seu potencial. Lembre-se de que o tempo e a paciência são essenciais para obter o melhor resultado possível. 

Agora que você sabe como curar seus buds como um verdadeiro jardineiro experiente, é hora de colocar essas técnicas em prática e desfrutar dos frutos do seu trabalho duro.

E aí, jardineiros, o que acharam das dicas para curar seus buds de cannabis? Vocês já utilizaram alguma dessas técnicas antes? Tem alguma outra dica que queiram compartilhar? Deixem seus comentários abaixo! 

E se vocês querem continuar aprendendo sobre o cultivo de cannabis e se tornar um jardineiro ainda melhor, não deixem de conferir os outros artigos em nosso blog. Até a próxima colheita!