Foto: Seedsman

Girl Scout Cookies (GSC)

Origem

A strain Girl Scout Cookies, hoje em dia mais conhecida como GSC, é proveniente de uma cruza entre a famosa OG Kush e Durban Poison. Girl Scout Cookies, em inglês, significa “biscoito das escoteiras”, que refere a uma tradição estadunidense que as escoteiras e escoteiros vendem deliciosos biscoitos para arrecadar dinheiro para suas instituições.

O nome foi dado a strain quando o rapper Berner, natural de São Francisco, criou a genética em um grupo de growers que ficou conhecido como Cookie Family. Mestre em branding, Berner lançou seus “Cookies” para o mainstream quando ele colocou seu produto nas mãos de nada menos que Wiz Khalifa. Desde então, as variações do nome foram surgindo até que o termo Girl Scout Cookies ficou muito conhecido e se tornou uma strain renomada no mundo da Cannabis.

Um dos atributos mais notáveis ​​da GSC é seu aroma de Skunk muito forte e levemente mentolado. Com notas terrenas e apimentadas e um sabor doce parecendo biscoitos recém saídos do forno, a Girl Scout Cookies é uma strain que não deixa nada a desejar em questão de gosto e aroma.

Efeitos

Por ser uma strain híbrida muito balanceada (60% Indica / 40% Sativa), a Girl Scout Cookies traz à mesa uma variedade de efeitos.

Com níveis de THC que variam de 17-25%, a onda consegue te levar para um estado de euforia e formigamento que toma conta de todo o seu corpo logo após consumida. Apesar da onda de euforia, os efeitos corporais dessa strain são muito fortes então deve-se evitar consumi-la logo quando acordar.

A Girl Scout Cookies é recomendada para aqueles que precisam de um pouco de inspiração e criatividade, porém por causa de sua dominância Indica, seus efeitos corporais podem tomar conta e fazer com que você queira apenas ficar sentado no sofá comendo durante horas.

Se for fumar a GSC, lembre-se do seu nome, que significa Biscoitos de Escoteiras. Usuários dessa strain relatam que junto com seus efeitos vêm junto uma larica daquelas que parece que nunca irá acabar.

Medicinal

Embora a strain não seja capaz de fornecer aos pacientes de cannabis medicinal muitos efeitos curativos provenientes do CBD, seus altos níveis de THC trazem propriedades medicinais potentes para pacientes que optam por usar a erva.

Em primeiro lugar, esta é uma excelente escolha para o tratamento de dores crônicas, inflamação, tensão muscular e cãibras. Suas propriedades altamente sedativas farão com que você sinta alívio rapidamente. Além disso, muitos gostam de usar a GSC como um meio de reduzir o estresse. A sensação tranquilizadora da variedade o coloca em um estado de relaxamento, diminuindo a tensão e preparando seus usuários para uma excelente noite de sono.

Se você está lidando com estresse, depressão ou outro distúrbio mental, é recomendado consumir uma dose pequena desta strain. Comestíveis e concentrados não são ideais nessa circunstância porque uma dose muito alta de Cannabis pode, em alguns casos, agravar estas condições.

Cultivo

Foto: HealingEmpire

Uma variedade com proporções balanceadas de Indica e Sativa, a GSC não é uma strain muito difícil de ser cultivada, mas você pode ter problemas para conseguir um clone com a genética original desta strain.

Tempo de Floração: 9 a 10 semanas

Rendimento: Médio.

Dificuldade de grow: Moderada.

Clima preferido: A Girl Scout Cookies tolera as variações de temperatura melhor que muitas strains, mas prefere um clima mais ameno e seco. A temperatura ideal deve variar entre 20ºC-26ºC.

Fertilização: No geral, genéticas OG ou provenientes de uma OG precisam de muito cálcio e magnésio. Sempre preste atenção nos sinais que sua planta apresenta e regule a fertilização de acordo.

Dicas: Sua leve dominância Indica faz com que a strain seja perfeita para a técnica SOG (Sea of Green), que consiste em plantar diversos pés menores em um pequeno espaço. Quando bem feito, você pode maximizar facilmente seu espaço de cultivo e extrair dele todo seu potencial. Mantenha o dossel inferior podado e tenha um fluxo de ar consistente através das folhas para prevenir ataque de oídios e outros fungos.

 

Entenda um pouco mais sobre os diferentes usos da maconha, seja ela medicinal ou recreativa. Clique aqui!