Ao longo dos séculos, horticultores de diversas regiões desenvolveram formas de tirar mais proveito de suas plantas usando técnicas simples mas eficazes de treinamento. Essas técnicas envolviam a realização de diferentes podas nas plantas, bem como o uso de dobras, o ScrOG (Screen of Green) e outros tipos de métodos. 

Embora sejam um pouco diferentes, cada uma dessas técnicas tem por objetivo garantir o uso ideal de luz, espaço e recursos disponíveis. 

O treinamento de baixo estresse, ou simplesmente LST, é uma variante moderna de uma técnica muito antiga usada para forçar as árvores frutíferas a crescerem de maneira uniforme. 

É uma técnica fácil de se aplicar e sem dúvida alguma, irá aumentar a sua intimidade com as plantas. Mesmo que você não tenha muita experiência no  cultivo de plantas de cannabis, a dica é: considere dar uma chance ao LST. Além de ser realmente muito divertido de se fazer, te proporcionará momentos de presença, desconectado de qualquer rede social e conectado com as suas plantas.

Venha conosco nesse artigo e aprenda a aplicar técnicas de LST como um verdadeiro profissional!

O que é o LST, e por que aplicar essa técnica em seu cultivo?

O LST é considerado um método de treinamento que tem como objetivo principal, aumentar o rendimento final do cultivo. Ele permite que os jardineiros aumentem a produtividade e extraiam o máximo dos seus recursos, tais como o seu espaço de cultivo e luz disponíveis. 

Essa técnica requer que o seu usuário realize dobras e amarras de forma sútil direcionando os galhos e caules, moldando assim o seu crescimento. 

Nós podemos listar pelo menos dois bons motivos que justificam o uso dessa técnica de forma regular no seu cultivo:

  • Primeiro, a cannabis normalmente produz um grande caule principal que desenvolve uma cola grande e alongada. Enquanto isso, outros ramos laterais e de menores proporções vão surgindo, criando uma espécie de equilíbrio para o desenvolvimento da planta. Esse formato de crescimento também é conhecido como dominância apical. O LST atua na planta de forma a quebrar essa dominância apical, fazendo com que os ramos laterais cresçam na mesma altura. Isso nos leva à segunda razão por trás do LST.
  • Melhor distribuição de luz. Ao aplicar treinamentos como a dobra e a fixação dos galhos (LST), nas plantas de cannabis, os cultivadores visam promover uma distribuição mais uniforme da luz e, ao mesmo tempo, controlar o crescimento vertical da planta. Ao quebrar a dominância apical, onde o ápice principal recebe a maior parte da luz, permite-se que os ramos laterais recebam mais luz, resultando em um crescimento mais equilibrado e uma melhor utilização da energia luminosa.

E para não te deixar criar desculpas, o LST não exige que você altere seu setup de cultivo para obter melhores resultados. Tudo que você precisa é de algum conhecimento, e algumas ferramentas que serão essenciais durante o preparo.

LST: uma técnica de treinamento amigável

Um elemento-chave dessa técnica de treinamento está explícita em seu nome; “baixo estresse”. E é isso o que separa esse método de técnicas de “alto estresse”, como por exemplo a aplicação das podas ou a desfolhação. 

Enquanto as podas envolvem cortar a ponta de crescimento principal da planta em um esforço para redistribuir o hormônio do crescimento, o LST é muito mais suave. Isso não apenas diminui o risco de sobrecarregar sua planta, mas significa menos tempo gasto esperando que ela se recupere e se adapte às mudanças provocadas pelos treinamentos de alto estresse. 

Com o LST, não há poda ou corte inerente, embora esse método seja frequentemente usado junto com outras técnicas mais severas. Em resumo, as plantas que passam pelo LST respondem muito favoravelmente, e o recompensarão por seus esforços com plantas saudáveis, ​​​​de galhos robustos e repletos de buds resinados.

Quebre a dominância apical

Hoje já é possível encontrar vasos e air pots que possuem furação para a aplicação do LST nas plantas, mas caso os que você tem aí não possua, tudo o que você precisa é fazer vários furos ao redor da borda do seu recipiente.

Agora você já pode passar o barbante ou arame pelos buracos e ao redor dos galhos para segurar os brotos firmemente no lugar. Comece dobrando a haste principal da planta suavemente para baixo em direção à borda do recipiente. Então amarre firmemente o caule no lugar.

Como alternativa para fazer a amarração, algumas estacas finas de madeira ou bambu com um comprimento de cerca de 30 cm podem ser utilizadas e funcionam muito bem para manter tudo no lugar, principalmente quando os galhos das plantas ainda não são grandes o suficiente para alcançar a borda do vaso. Pronto! Você acabou de trabalhar o dossel da planta abrindo caminho para o crescimento horizontal que vai ocorrer no futuro. Dessa forma, a luz atingirá muito mais locais de brotos, o que resultará em um maior rendimento.

Dicas: Muitos jardineiros optam por combinar o uso de técnicas, aplicando inicialmente a poda no caule principal e somente depois dobrar os brotos secundários para o lado. Dessa forma, a planta terá um formato mais parecido com uma “aranha”. Mas mesmo se você estiver executando o LST padrão, ou seja sem podas, você pode querer considerar realizar a desfolhação para aumentar a penetração da luz nos ramos inferiores.

Molde as suas plantas

Uma coisa a ter em mente com o LST é que você sempre deseja manter o topo das suas plantas plano, para que nenhum galho seja mais alto que o outro. Isso não é nenhuma ciência de foguetes, mas é útil ter uma forma desejada em mente, em vez de apenas improvisar. Pode até funcionar no improviso, mas o melhor mesmo para iniciantes é fazer um planejamento básico, evitando assim cair em armadilhas.

Acidentes podem acontecer ao longo do caminho. Ao aplicar o LST, pode ser que você acidentalmente quebre um galho enquanto o dobra, mas não há motivo para surtar! As plantas são realmente mais robustas do que você  imagina. Contanto que um galho não tenha sido removido totalmente, você sempre pode contornar esse tipo de contratempo com um pouco de fita adesiva. Levará uma semana ou mais para curar, mas não será o fim do mundo.

No entanto, saiba que LST não é algo que você irá fazer uma vez e pronto. Esta técnica requer manutenção constante. A razão para isso é que sua planta continuará crescendo, independentemente da forma que você a moldou. Com o tempo, os brotos crescerão e as folhas ficarão maiores. Por isso, você deve reajustar suas curvas de vez em quando para garantir que o topo fique bem nivelado.

lst lst

Quando aplicar o LST

Quando a planta estiver plenamente confortável em seu estágio de crescimento vegetativo, ela estará pronta para iniciarmos a sua manipulação. Você não deve começar muito cedo antes que a planta tenha estabelecido alguns bons nós, mas também não espere muito até que seu caule enrijeça e inviabilize a aplicação. 

Há apenas um momento em que o LST pode ser realmente problemático, e é quando sua planta já está em plena floração. Nesse estágio, os caules da planta podem estar muito rígidos para dobrar, e você corre o risco de quebrar um galho segurando seus preciosos botões. Ou seja, a etapa de floração não combina com a aplicação de treinamentos.

LST em plantas autoflorescentes

As autoflorescentes crescem rapidamente e não requerem uma mudança no ciclo de luz para iniciarem a sua fase de floração, o que significa que não têm muito tempo para se recuperar de métodos de treinamento de alto estresse, como as podas e o supercropping, por exemplo. 

Com o LST, no entanto, as plantas ainda podem se beneficiar da exposição à luz ideal e não precisarão de tempo para se recuperar, pois não causa nenhum dano real. Na verdade, o LST pode ser uma ótima maneira de aumentar o rendimento de suas plantas auto-florescentes! 

Apenas saiba que as plantas automáticas entrarão em floração após cerca de 4 semanas, então você já deve ter decidido se deseja LST ou não! Comece o mais cedo possível para obter melhores resultados.

E aí, curtiu o nosso artigo? Então compartilhe com a sua turma e manda aquele comentário aqui embaixo. Queremos saber o que você pensa sobre o LST e como você faz na sua horta.